quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Ser adulto ou ser feliz?

Amanhã faço 27 anos.

Não tenho carro, moro com meus pais e estou trabalhando por conta própria desde o início do ano, crescendo aos poucos. Só a última parte me importa. Pessoas normais  com a minha idade já trabalhariam de terno e gravata numa multinacional... Era isso que eu queria pra mim até um ano atrás ou menos.

Pessoas normais, quando adultas tendem a ficar muito sérias, talvez por viverem preocupadas demais com os problemas da vida, do trabalho, da escola dos filhos e a reunião de condomínio. Há certas coisas que nos envelhecem mas são essenciais, como criar um filho ou decidir se o papagaio do morador do 503 tem falado demais e se está mesmo incomodando aos demais condôminos. Ou é algo fundamental ou é uma besteira que nos faz perder preciosos minutos da nossa vida. Eu sinto que, desde que dobrei a casa dos 20, até então vivi tanta coisa que eu deveria ter ficado igual a uma uva passa. Se eu fizer um exame de consciência, talvez eu tenha errado mais do que acertado. No entanto, os erros foram escolhas com base em decisões que eu julgava acertadas. Por exemplo, ficar noivo aos 21 anos, sem ter formado na faculdade e sem ter um trabalho que me sustentasse! Mas a gente aprende. Hoje, casamento é algo distante pra mim. Vontade? Ah... Prefiro morar junto e fugir de toda aquela coisa cerimônia/recepção e babação de ovo. Morar junto deve ser melhor. Se der errado, cada um toma seu rumo e leva o que lhe pertence.

Agora, faltam 3 anos pra eu entrar nos 30. Crise de idade? Talvez um pouco, mas não vou encher minha cara de rugas por conta disso. Na cidade onde moro existe uma expressão que define como "Galo Velho" homens como eu (e mais velhos) que estão solteiros (leia-se: não estão casados) e morando com os pais. Todo ano minha mãe me diz: "É... vou ter que reforçar o poleiro daqui de casa, o galo tá ficando mais velho." 

Prefiro ser feliz a ser adulto. Nas situações em que é preciso ser e agir como um adulto consciente, eu sou. Mas não consigo por exemplo, ser aquele homem que está por demais preocupado com política, com crise de mercado ou, como é comum aqui em Dores de Campos, preocupado também com a vida dos outros. 

Na minha visão, ser adulto é ser consciente, é ser honesto, saber ouvir, saber quando não falar e quando ensinar. É estar ali (seja onde for) pelos outros, e não por mim mesmo. Mas viver a felicidade é não abrir mão de fazer o que eu quiser, como eu quiser e onde eu quiser, mesmo que seja alguma coisa estranha pra um adulto. Mas é minha vontade, é o momento que importa. Então, devo me prender a conceitos antiquados de que "você não acha que é bem grandinho pra isso?" ou me preocupar com o que uma sociedade imbecil vai falar de mim e não fazer o que quero por receio? 

Eu tenho minhas aspirações e, como um adulto, crescido, maduro e consciente, eu quero mais é ser feliz. Não importa nem como e nem onde.

3 comentários:

Rodrigo Fonseca disse...

Galo Velho é otima! Ri alto aqui! kkkkkk
deixo os parabens para amanhã, por telefone eu espero!

-Letícia disse...

Ficar + velho, "Galo velho" qe naada, o qe importa é a idade do seu espírito e não sua idade física... Fora isso, é só mais experiencia qe se ganha! ^^

PARABÉEÉÉNS PRO CURÉLIO ! =D Aaaee! Buteco a la moranguinho ! ^^

Francianne disse...

Ow, preocupa com a idade não.
O q importa é a idade mental e o modo como vc vive, não a idade q vc tem!!!
Antes um "Galo" feliz do q um jovem revoltado.


PARABÉNS!!!!

BjÃO